segunda-feira, 1 de junho de 2015

Eleições 2016: O clima começa a esquentar no sertão

Faltando mais de um ano para as eleições municipais, as movimentações em torno dos candidatos e possíveis candidatos nas cidades do sertão ficam mais intensas.
Depois de saberem que o sistema proporcional está mantido, que não teremos mudanças, bem como o fim da reeleição foi decretado, começa a luta contra o tempo.
Só uma coisa ainda trava a corrida: as fusões do PTB-DEM e PSB-PPS vão prosperar? A Rede será registrada? O mandato de prefeito será de 6 anos? É bom lembrar que as filiações devem acontecer até setembro deste ano.
De qualquer forma, os nomes começam a ser lançados para testar a popularidade. Apostam-se em laranjas, cavalo-paraguaio, boi-de-piranha, gente sem pedigree. Espalham-se os torpedos fulano está comigo, beltrano rompeu, cicrano vai ganhar uma secretaria, bla, bla, bla. Todas as estratégias são válidas.
Mas não subestimem os políticos, eles sabem o que fazem e o que querem. São capazes de tudo. Eles só pensam naquilo: Ganhar as eleições. Eles perdoam os maiores pecados. Eles adoram o palanque único e os aplausos.
Soltar boatos é uma das armas prediletas, sobretudo em cidade-curral. Atira-se em Joaquim para acertar em Quinca. Não se esqueçam de uma frase que não caduca: "A política ama a traição e odeia o traidor".
Eles são ilusionistas, têm sempre um coelho na cartola e têm um instinto de sobrevivência aguçado. Eles trabalham com o ideal e com o possível. 
Porém, em dezembro, acabam-se as brincadeiras. Quem desejar "Feliz 2016" em outdoor é pré-candidato. Até lá é só farofa e especulações. Quem se apresar ou demorar demais, pode perder a vaga.
O jornalista Magno Martins, inclusive, apresentou um possível cenário em Arcoverde, Petrolina e Serra Talhada.
Fica a pergunta: O que vai acontecer em Serrita?
Redação: Radar Net

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...