terça-feira, 22 de setembro de 2015

Quantidade de recursos gastos em Pernambuco com as vítimas de acidentes de moto motivou o estado a tributar as cinquentinhas

 20150922074622394215a 560x373A quantidade de recursos gastos em Pernambuco com as vítimas de acidentes de moto motivou o estado a tributar as cinquentinhas. A partir de 2016, será obrigatório pagar IPVA de 2,5% das motos de 50 cilindradas. O anúncio foi feito ontem com o pacote de iniciativas apresentadas para combater a crise econômica. A medida visa reverter, ou pelo menos amenizar, o prejuízo anual de R$ 1,1 bilhão com os acidentes. O rombo causado não é só do estado, mas da União. Segundo o secretário de Saúde, Iran Costa, somente a Secretaria Estadual de Saúde gasta R$ 500 milhões por ano com as vítimas de acidentes de moto. O dinheiro é investido em cirurgias, próteses, reabilitação, internamento em UTIs, entre outros.
A outra parte, da União, banca aposentadorias, pensões por morte ou invalidez, perda de dias de trabalho e questões relativas à previdência social. Os dados são de 2014, ano em que aconteceram cerca de 800 óbitos em Pernambuco provocados por acidentes de moto. A média de idade das vítimas é de 29 anos, ou seja, está em plena idade produtiva.
Ontem ocorreu mais uma tragédia. Uma mulher morreu, no início da tarde, após um acidente na Avenida Abdias de Carvalho, no bairro do Prado, no Recife. A vítima pilotava uma motocicleta que se chocou contra um ônibus.
“Os pacientes ficam, geralmente, de dois a três meses internados em emergências e UTIs, e precisam de diversos procedimentos cirúrgicos”, afirmou Iran Costa. O secretário destacou um cálculo do IPVA de 2009 que indica: com cada acidentado de moto que precisa de internamento o gasto médio fica entre R$ 80 mil e R$ 120 mil.
Sobre o IPVA das cinquentinhas, Iran Costa acredita que haverá impacto. “As pessoas estão vivendo um momento de dificuldade financeira. Vai impactar na aquisição do bem, e o imposto será revertido para a saúde.” Entre janeiro e maio, o Comitê Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto mapeou o perfil das vítimas de acidentes. De acordo com os dados, 75% dos acidentados não têm carteira de habilitação, trafegam sem capacete e depois de terem bebido.
O presidente da entidade, o médico João Veiga, diz que as cinquentinhas causam boa parte desses acidentes no estado. Pernambuco tem 1,1 milhão de motos. O Comitê estima que 200 mil são cinquentinhas. O Detran ainda não tem o número exato das motos de 50 cilindradas porque o emplacamento no órgão só passou a ser obrigatório a partir de 31 de julho deste ano. De lá para cá, somente 179 foram emplacadas e 385 apreendidas, segundo o órgão. O médico acredita que a fiscalização é o fator essencial para reduzir os números negativos. “Só campanhas educativas têm impacto zero na redução dos acidentes.”
É o que comprovam os condutores flagrados pelo Diario, no final da tarde de ontem, na Zona Norte do Recife. O vendedor Ricardo Pereira, 25 anos, concorda com o pagamento do IPVA. Para ele, a medida vai evitar roubos e acidentes. Apesar de conhecer os perigos de andar sem capacete, ele trafegava desprotegido, assim como o colega que pegava carona na garupa. “Sempre ando direitinho, mas tive que ir buscar ele ali rapidinho e arrisquei”, comentou. A mesma desculpa foi dada por outro condutor. O entregador de galinha Gilson Oliveira, 22, alegou ter saído rápido de casa. “Acabei esquecendo o capacete.”
Do Diário de Pernambuco

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...